História da Moda: Crazy Twenties

   Hey guys! Como vocês estão? Tudo bem? Já decoraram a casa pro Natal? Fatal só 5 semanas people! Eu sou louca no Natal e já decorei minha árvore desse ano, foi extremamente estressante mas no final ela ficou maravilhosa! Eu sou muito perfeccionista pra essas coisas e acabei montando e desmontando ela algumas vezes e levei o dia inteiro pra deixar ela pronta, e pra piorar eu decidi entrar no Pinterest pra pegar ideias de decoração e entrei em depressão com o tanto de coisa bonita e precisei tirar um break kkkkk. O importante é que a árvore esta pronta para esse ano e agora só falta todo o resto da casa, que eu preciso decorar até sexta da semana que vem por que decidi fazer outro jantar de Friendsgiving aqui em casa esse ano. Uau! Eu tenho o dom de arrumar várias coisas pra fazer de uma vez.

   f9cb5132c6b060e497c3c05d1a80fcdd cropped.jpgMas vamos falar sobre o tema de hoje, o segundo episódio da nossa série sobre história da moda, e um dos meus favoritos, os anos 20! Quando eu penso nos anos 20 eu penso em bastante champanhe, jazz, bares clandestinos, vestidos brilhosos e Leonardo DiCaprio. Bom, muitas coisas me fazem pensar no Leonardo DiCaprio, mas no final vocês vão ver o porque. A década de 1920 é uma das minhas favoritas e se eu pudesse escolher uma época do século XX para ter vivido seria essa com certeza, o mundo acabava de superar sua primeira grande guerra e isso era motivo de muita comemoração, a mulher havia adquirido um papel mais presente no mercado de trabalho e em vários países as mulheres haviam ganhado o direito ao voto, essa foi uma época de muita liberdade e novas descobertas e um pouco de ilegalidade. Enquanto isso em Paris artistas de todos os tipos e lugares se reuniam em uma atmosfera de intelectualismo boêmico e artístico. Em 1920 foi lançada a Vogue de Paris, quando Coco Chanel dominava o mundo com suas roupas com cortes retos e peitos chatos estampados pelos famosos C’s. Em 1929 ocorreu a queda da bolsa de valores de Nova York e que trouxe o fim de uma década regada a extravagâncias e brilho. Nós vamos falar especificamente sobre os anos 1914 até o início da década de 1930, seguindo o capítulo do livro que estamos usando. Ok, let’s go!

O Tailleur 1914-1918

  ff994f616e74d468ef98ce00aa3be7b2.jpg Como vimos no último post a moda vai se adaptando as necessidades das pessoas e aos novos costumes. Durante os anos de 1914-1918, devido a Primeira Guerra Mundial e a maior parte da população masculina lutando nos campos de batalha, as mulheres acabaram por entrar com maior intensidade no mercado de trabalho e passaram a exercer atividades antes exercidas apenas por homens, isso levou a uma necessidade da moda em se adaptar ao novo ambiente em que as mulheres se encontravam. Nessa época muitas mulheres nunca haviam sequer usado roupas mais práticas e com grande espaço para movimentação, e agora nas fábricas elas tinham que usar macacões, e as motoristas de ônibus usavam saias até o tornozelo com paletós de corte masculino com bolsos. Nessa época as roupas também se tornaram um pouco mais simples e menos elaboradas, uma forma de representar o espírito da guerra que pairava sobre a Europa.

O Traje de Tênis 1919-1929

   d819a047104d5c1e352ed528cc6244bfApós a Guerra a vida ia voltando ao normal e as mulheres já não queriam mais voltar as condições em que viviam antes da guerra. Jovens que haviam estudado e adquirido maior liberdade social durante o período de guerra esperavam maior igualdade, e isso se expressava em suas roupas que passaram a ter uma silhueta mais reta, uma barra mais curta e feitas com tecidos mais leves que proporcionavam maior liberdade de movimento. A mulher já não queria mais ficar presa em casa sem poder fazer nada e suas roupas seguiam o mesmo destino. Os anos 20 foram marcados pelo boom econômico, consumismo e pelo lazer, a prática de esportes pelas mulheres se tornou ainda mais comum e mais competitiva, entre 1919-1926 a tenista Suzanne Leglen popularizou o uso de roupas mais leves em esportes com suas roupas sem espartilhos e anáguas, desenhadas por Jean Patou. A faixa que a tenista usava no lugar do chapéu foi copiada por todas as mulheres da época.

A Estampa Cubista 1922-1929

   Assim como o orientalismo havia inspirado os trabalhos de Paul Poiret no início do século, diversos movimentos artísticos continuaram a inspirar o trabalho de estilistas durantes os anos 1920. O cubismo, estilo desenvolvido por Pablo Picasso e Georges Brasque, e o fauvismo,  foram de grande influência no trabalho da artista e designer têxtil Sonia Delaunay. Em 1925 Delaunay participou da Exposição Internacional das Artes Decorativas e Industriais Modernas em Paris levando a atenção do público ao seu estilo de design único e bastante colorido com o uso intenso de formas geométricas.

Àquele que sabe apreciar as relações entre as cores – a influência de uma sobre outra, seus contrastes e dissonâncias – estão prometidas imagens da mais infinita diversidade.”

Sonia Delaunay (1885-1979)

O Vestido Charleston 1925-1929

   Jazz, jazz, jazz! A dança charleston tem sua origem nas comunidades negras dos Estados Unidos, mas o som e ritmo do Harlem com certeza contagiou o mundo todo. Os movimentos rápidos e elétricos dançados sozinhos ou aos pares em speakeasies, e clubes zombavam da rigorosa Lei Seca nos Estados Unidos e geravam novas modas adotadas pelas falppers. A silh324-speakeasy-20ueta cheia de curvas, imponente e de certa forma engessada teve seu lugar tomado por peças com linhas retas e cheias de movimentos e agilidade. Assim como o comprimento dos vestidos haviam diminuído, o que causou polêmicas dos dois lados do oceano, os cortes de cabelo também adotaram um comprimento mais curto que moldavam os rostos bem maquiados das jovens. Nessa época a maquiagem também foi popularizada pelo cinema, com propagandas que diziam que toda garota podia se parecer com uma atriz de cinema. As jovens flappers eram garotas que lutavam pelo direito de estudarem, de se divertirem e de decidirem a própria vida, elas definitivamente não aceitavam ter a vida que tinham antes da guerra e não aceitariam não como resposta. Nessa época passou a ser normal as mulheres fumarem e beberem, assim como se maquiarem, em público o que gerou uma nova criação de produtos dentro da indústria da moda, como pós compactos, cigarreiras e copos de coquetel com um estilo ar déco.

“Vamos trocar estas roupas molhadas por um martíni seco.”

Mae West, atriz Americana (1983-1980)

Filmes

   Primeiramente queria apenas falar que eu estava muito ansiosa para as indicações de filme dessa semana, como eu falei antes essa época é uma das minhas favoritas e os filmes que eu irei indicar também moram no meu coração. Espero que vocês gostem e assistam!

20109785

Coco antes de Chanel – filme de 2009, dirigido por Anne Fontaine com atuação de Audrey Toutou como a jovem Gabriele Chanel. Eu já havia indicado esse filme antes mas hoje é pra valer. O filme é uma biografia da vida de Chanel até o início de sua carreira, além de ter uma qualidade cinematográfica incrível, o filme francês representa a vida da famosa estilista em um momento de mudanças no mundo da moda. Chanel foi com certeza uma peça essencial nas mudanças ocorridas no vestuário feminino durante a primeira parte do século XX e até hoje sua famosa Maison Chanel é uma das maiores influências na indústria. O filme é ótimo para podermos ver um pouco da transição entre a forma de se vestir no século XIX para o início do século XX.

images (1).jpg

O Grande Gatsby – filme de 2013 com a atuação de Leonardo DiCaprio e dirigido por Baz Luhrman. O filme é insipirado no livro de Scott Fitzgerald, de mesmo nome, publicado em 1925. Scott foi um dos escritores que passou um tempo em Paris durante a década de 1920 ao lado de outros artistas bastante importantes como Hemingway e Picasso. O filme conta a história de amor entre um jovem que foi para a guerra e voltou para encontrar o amor de sua vida casada com outro homem. O filme possui uma qualidade de figurino maravilhosa e mostra bastante o lado extravagante, glamouroso e ilegal do estilo de vida nos anos 2o nos Estados Unidos.

images-2Meia Noite em Paris – filme escrito e dirigido por Woody Allen, lançado em 2011 com atuação de Owen Wilson e Rachel McAdams. O filme conta a história de um roteirista e escritor estadunidense obcecada pela Paris dos anos dourados, que acredita que os anos 20 foram os anos com a maior qualidade de conteúdo artístico da história. Ao viajar para Paris com a família de sua esposa ele terá um encontro inesperado com escritores e artistas que tanto venera, e com o estilo de vida dessas pessoas tão maravilhosas e excêntricas. O filme mostra a vida da sociedade artística em Paris nos anos 20 e como esses gênios conviviam entre si e com as pessoas de fora do círculo, também podemos ver muito bem como as pessoas se vestiam e um pouco da relação da moda com outros ramos artísticos na época.

   That’s it for today! Espero que todos gostem, e se mais alguém se identifica com essa época charmosa e brilhante você não está sozinho! Até semana que vem, com uma época menos brilhosa mas com certeza muito elegante!

Love, C.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s