No Ring você marcou ponto, aqui não.

Olá, número cinco. É provável que você nunca lerá essa carta, assim como todos os outros rapazes.  Você apareceu um pouco depois de eu decidir que a minha história com o número quatro havia acabado. Após de eu afirmar que não queria mais alguém por um bom tempo na minha vida. Instantes depois de eu dizer que eu seria apenas minha. Mas, você tinha que ter os olhos e um sorriso tão bonito?

continue lendo

Anúncios

Para de perder tempo com quem não te quer!

Oi, tudo bem? Se você clicou nesse texto é provável que não esteja tão bem assim. Acertei?Mas vem cá, fica comigo aqui e desabafa também. Eu me pergunto diversas vezes o porquê de não dar certo no amor, o porquê dos caras passarem pela minha vida como um flash ou simplesmente não permanecerem como prometem. E advinha qual é a resposta!? Continue lendo

Pra você era só um (Ele), para ele só mais uma (Todas).

É engraçado como em poucos minutos de conversa a gente se entrega. Como um piscar de olhos, uma mordida no lábio inferior pode derreter o gelo. Não entendo como um toque suave, dedos entrelaçados por segundos podem acender uma chama dentro de nós. É sempre assim, na maioria das vezes prometemos que dessa vez é diferente. Que ele é diferente.  ”As palavras dele são verdadeiras, seu beijo é de quem está apaixonado, ele me entende, não é como os outros garotos que passaram pela minha vida. Ele não vai me quebrar, pelo contrário, ele até me faz sorrir antes de ir dormir.” Mas a verdade, é que nada é diferente.
Leia mais

Eu já namorei a distância?

Oi Divas e divos, tudo bem com vocês? Muita gente me faz essa pergunta: ” Kakau, o que você acha de namoro a distância?” Então hoje, vou abrir o jogo e falar da minha experiência sobre o assunto. Primeiramente, fora Temer. Agora é sério, tudo começou em 2013, quando eu criei o tumblr!
Continue lendo

Isa e Pedro

Quando levantei a cabeça reparei que seus olhos cor de mel me fitavam, ou melhor dizendo, me devoravam. Assim que meus olhos cruzaram com os dele, percebi na emboscada que havia me metido. Mas já era tarde, ele me envolveu em um abraço, enquanto sussurrava em minha orelha um: ” você está bonita hoje, aposto que esses caras estão afim de te levar para outro lugar”- Só então me dei conta de que uns homens altos e atraentes olhavam na minha direção.

-Você não gosta disso, não é? – retruquei me soltando daquele longo abraço,mas desejando ficar ali para sempre.

– Dos caras te comendo com os olhos? Não, eu não gosto- notei o desconforto em sua voz enquanto seu olhar se desviava de mim.

– Ciúmes? Que bonitinho.

-Ha ha ha, dá para a gente entrar nessa maldita festa junina?

–  Alguém acordou mau-humorado hoje ou foram só os caras que te deixaram assim?

– Isa, você sabe que eu odeio festa junina.- ele respondeu enquanto entrávamos na festa.

– Então veio por mim?

-Não, eu vim porque ganha ponto estar nessa festa sem graça de colegial.- Eu o olhei com uma expressão de ” conta outra”.- Ok, e por você.- Não pudi conter um breve sorriso, mas eu estava decidida a não criar expectativas naquela noite. Naquele momento eu sentia que ficaríamos juntos, mas a ideia de o encontrar no dia seguinte me assombrava. Com o Pedro era assim, eu nunca sabia se seria a única, se nossos lábios ainda se selariam no outro dia ou se eu teria que esquecer e fingir que nada acontia entre nós. – Isabela, pamonha ou pipoca?- a voz dele me trouxe de volta dos meus pensamentos.

-Do que você está falando?

-Caramba, não ouviu nada do que eu disse? O que você tanto pensava?

-Nada.

-Enfim, você quer pamonha ou pipoca?

-Suco- ele gargalhou- O que foi? Qual a graça?

-Só você para pedir suco sendo que tem uma variedade de comida por aqui.- disse olhando em volta.- Não entendo qual é desses vestidos bregas.

-Parar de matar aula de história e geografia te ajudaria a entender melhor.- provoquei levantando a sobrancelha.

-Muito engraçado nerd. Então você usaria esses vestidos?

-Você sabe que não, é a coisa mais cafona do mundo.

– Mas você ficaria bonitinha Isabela.

-Não enche Pê- disse, me virando de costas e seguindo caminho.

– Onde vai? – senti sua mão firme em meu pulso.

-Ver se eu encontro a barraca do beijo.

– Isa, você não precisa de barraca do beijo, não mesmo.

– Ah não? Por que não?- me virei para ele e reparei que seus olhos transmitiam fogo.

-Você não vai beijar esses caras horríveis.

-Mas até que eles são bonitinhos e o grêmio estudantil precisa de dinheiro.

-Você nem faz parte do grêmio. Por que se candidatou para ficar nessa maldita barraca?

-O presidente do grêmio é meu melhor amigo, ele precisava de ajuda. – eu tentava explicar enquanto caminhava em direção a barraca do beijo.

-Isabela,por favor,não.

-Por que não Pedro?

-Porque eu não quero.

-Desde quando você manda em mim?- levantei um pouco a voz, eu não acreditava que ele queria mandar em mim.- Eu não sou sua boneca Pedro.

-Isabela não foi isso que eu quis dizer, eu me expressei mal.

-Então o que quis dizer?

-Eu quis dizer que não quero, porque eu não aguentaria te ver beijar uns trinta caras essa noite.

– Então está dizendo que não posso beijar quantos eu quiser?

-Não, não é isso- comecei a dar passos largos- Espera, o que eu estou tentando dizer é que…

-É que? Anda Pedro, me dê um motivo para não beijar uns trinta caras essa noite.- eu notei que ele respirava fundo enquanto caminhava até mim.

-Você quer um motivo Isabela?- sentia suas mãos fortes me segurando pela cintura, nossa respiração ficou acelerada e quando me dei conta nossos lábios estavam selados. Nossa língua se encontravam enquanto caíamos numa sintonia perfeita, minhas mãos passeavam pelos seus cabelos conforme nossas cabeças se mexiam como se dançassem.

-Não Pedro, não, eu prometi que não cairia no seu jogo.-o afastei.

– Não é um jogo.Eu gosto mesmo de você.

-Você só tem dezessete anos, como sabe se gosta mesmo de mim?

-Eu sei que não se pode ser sério aos dezessete anos, mas eu estou falando sério, eu gosto mesmo de você.

-Você acabou de citar um poeta francês?- o fitei.

-É isso que tem a me dizer?- perguntou com uma voz chateada.

-Não, eu também gosto de você, é só que pensei que não sabia ler.- eu sorri, me aproximando dele, eu o abracei e foi a minha vez de sussurrar próximo a sua orelha:- Eu não me candidatei para a barraca do beijo, só queria ver sua reação.

-Você ainda vai me enlouquecer.

-Você não perde por esperar- ele sorriu e ficou me olhando.

-Isabela, eu não sei quanto tempo vamos durar, mas a única certeza que tenho agora, é que você é a mulher da minha vida.- não pudi me conter, e o beijei novamente na frente de todos.

-Me dê batata-frita e serei para sempre sua- ele riu.

-Não tem como te levar a sério Isa, eu me declaro e você só pensa em comer.

-É que eu gosto muito mesmo de batata-frita e de você.

                                                                       XOXO,Cacheada.

As piores frases que todx cacheadx já escutou!

Oi divas e divos, tudo bem com vocês? Hoje eu trouxe um post recheado com frases tipicas de quem ama cabelo cacheado, sqn! Só quem é cacheadx já ouviu essas frases, que de graça não tem nada e são cheia de preconceitos! Se você não tem juba caracolada na cabeça não te faz de doido e não cometa essas garfes! Então vamos para as frases e nossas reações (pelo menos na nossa cabeça)
Continue lendo

Como foi ter bulimia.

Oi divas e divos, tudo bem? A pedidos de alguns leitores eu resolvi abrir o jogo e contar como foi o período em que eu tive bulimia. Ao contrário do que muita gente pensa, bulimia vai muito além de comer e vomitar, isso é uma doença e não deve ser levada como frescura, como muitos a classificam por ai.

anorexia___eating_dissorder_by_viry

Não, eu não tenho bulimia mais. Eu tive quando tinha de 13 a 15 anos, quando estava no auge da minha adolescência e com uma autoestima mais baixa que tudo. Hoje eu estou caminhando para seguir carreira de modelo, mas sou segura do meu corpo e do quanto sou bonita, mas nem sempre foi assim. Quem me ver confiante andando por ai, jamais imaginaria que eu também já estive no fundo do poço.

Eu sempre fui a louca da academia, das aulas de dança, da natação, da corrida, de todos  os exercícios que eu pudesse fazer. Minha mãe sempre dizia: ” você quer agarrar o mundo com as mãos Kauany, mas você não pode.” E realmente, eu sempre tive essa mania de querer fazer tudo de uma vez, até que eu me apeguei somente ao ballet, uma dança tão delicada e maravilhosa que por trás dos bastidores carrega sacrifício e muita coisa horrível, que não é mostrada diante dos holofotes. Foi ai que tudo começou, como eu era uma bailarina com “corpão”, eu achava que não me enquadrava no perfil posto para ser uma bailarina de sucesso. Eu sabia que precisava mudar aquela situação, então vi na bulimia uma solução. 

Um dia estava  sentada no meu querido sofá vendo uma novela, e vi uma cena que despertou algo em mim, a personagem tinha problemas com seu corpo assim como eu e praticava  o ato mais comum da bulimia, que é : comer, comer, comer e depois por tudo pra fora. Eu toda na inocência corri para o banheiro e fiz o mesmo. Mal  sabendo que aquilo iria me assombrar por um longo tempo. Eu passei a vomitar todas as vezes que comia, ficava longas horas sem comer, me alimentava mal, praticava exercícios em exagero, eu me afundava cada vez mais.

Com o passar do tempo sempre que eu comia um peso de culpa vinha sobre as minhas costas. Eu chorava e o tormento só ia embora depois que eu vomitasse. Quando eu acabava meus exercícios sempre sentia tontura, moleza e quase desmaiava. Os sintomas começaram a se agravar, eu comecei a me isolar do meu grupo de amigas, passava uma imagem de durona quando  na verdade eu estava destruída. Eu tentava sair da bulimia sozinha, mas não conseguia. Eu achava que era mais forte do que eu. Minhas amigas e meu ”namoradinho” da época começaram a perceber meu comportamento estranho, até que eu abri o jogo para  eles.

Uma coisa que bulímico tem é vergonha. Nós nos acostumamos a esconder por achar que ninguém vai entender,que todo mundo vai julgar e nos condenar. Chega a um determinado momento que parece não haver saída. Eu fiquei sufocada, cansada de tanto me destruir. Nossa imagem em frente ao espelho e na mente vai ficando distorcida. Eu comecei a enxergar coisa onde não tinha. Eu vestia 36, mas jurava que vestia 42 ,por exemplo. Eu me sentia desprezível, um lixo, mal amada e odiava a mim mesma. Essas é uma das coisas que a bulimia faz, ela chega de mansinho, te faz acreditar que aquilo é bom e depois te devora por inteira.  Como eu superei? Isso fica para um próximo post.

Mesmo que todos digam que você não é boa ou bom o bastante, que não é amadx, bonitx ou não serve pra nada, eu afirmo que você é lindx, que é capaz de fazer tudo o que quer e que há uma força ai dentro de você que nem imagina. Você pode sim, quebrar barreiras, ultrapassar  obstáculos, vencer qualquer problema. Força, foco e fé  meninx que a vida segue. Mesmo que ela não para pra você se recompor, Deus para e ele parou  todas as vezes que eu cai. Eu gostaria que você soubesse que no mundo há pessoas boas que se preocupam com você e que és mais forte  do imagina.

E aí? Querem uma continuação dessa história? Ou algum assunto relacionado com esse tema? E vocês? Já tiverem algum problema parecido com esse? Deixem nos comentários e beijos da cacheada.

P.S.: com o intuito de ser inclusiva e  economizar tempo, decidi me referir a vocês de maneira mais universal, já que tenho um público muito variado. Sendo assim, no lugar de colocar as palavras no masculino e no feminino, colocarei um ” x” na terminação.  Assim você, independente do gênero ou orientação sexual  escolhida poderá se identificar melhor.