Para de perder tempo com quem não te quer!

Oi, tudo bem? Se você clicou nesse texto é provável que não esteja tão bem assim. Acertei?Mas vem cá, fica comigo aqui e desabafa também. Eu me pergunto diversas vezes o porquê de não dar certo no amor, o porquê dos caras passarem pela minha vida como um flash ou simplesmente não permanecerem como prometem. E advinha qual é a resposta!? Continue lendo

Anúncios

Como foi meu BIGCHOP + Fotos para te inspirar!

Oi lindeza, tudo bem com você? Hoje eu trouxe algumas fotos de cacheadas para te inspirar a fazer o grande corte! Eu sei que a transição é uma fase horrível, que parece nunca passar. É um processo delicado, doloroso, que mexe com sua estima e com você. Mas acredite, tudo o que está passando vai valer muito a pena.
Leia mais

As piores frases que todx cacheadx já escutou!

Oi divas e divos, tudo bem com vocês? Hoje eu trouxe um post recheado com frases tipicas de quem ama cabelo cacheado, sqn! Só quem é cacheadx já ouviu essas frases, que de graça não tem nada e são cheia de preconceitos! Se você não tem juba caracolada na cabeça não te faz de doido e não cometa essas garfes! Então vamos para as frases e nossas reações (pelo menos na nossa cabeça)
Continue lendo

Encontrinho das cacheadas

Oi Divas e divos, tudo bem com vocês? Hoje eu vou mostrar um pouquinho de como foi o encontrinho das cacheadas.  Eu juntamente com algumas amigas organizamos o primeiro encontrinho das cacheadas de Goiás, incluindo todas as cidades do nosso estado. Aconteceu no dia 19(domingo) no parque Flamboyant ás 16hs;
Continue lendo

Se Picasso pintasse em muros seria arte?

Oi Divas e divos, esse é o primeiro editorial postado aqui. Na quinta-feira (26/05) eu e minha amiga Karina Amaral resolvemos tirar fotos em alguns lugares em Goiânia. Particularmente  eu amei o resultado e o ensaio fotográfico foi mara! O lugar  escolhido para a maioria das fotos foi o Beco da Codorna.

O Beco da Codorna antigamente era muito frequentado por moradores de rua e usuários de drogas. Atualmente acontece eventos no lugar, o fluxo de drogas e moradores de rua diminuiu muito. Durante os eventos o espaço é livre para que as pessoas possam vender, trocar ou expor o que quiserem.

beco-codorna.jpg

Esse lugar me fez repensar em algumas coisas, uma delas é em como há uma desvalorização absurda em relação ao grafite. Olhando ao redor e vendo todas essas pinturas maravilhosas eu me lembrei da Guernica, uma obra de arte de Picasso. Ela foi feita em um painel muito grande associado com o tamanho de um muro. Ela é uma das principais obras anti guerra já feitas. Picasso quis mostrar a  realidade através de sua arte.

guernica

Essa obra se parece muito com um muro real e as pessoas amaram, ela é respeitada e valorizada pelo mundo, já a arte estampada em um muro real não é muitas vezes valorizada. Ao contrário dessa obra, o grafite é muito criticado e não é tão visto com bons olhos. O que me fez pensar em como várias pessoas costumam aplaudir artes apenas porque são de artistas de renome. Nesse ponto, não me refiro especificamente no artista citado, mas em diversos outros e em pessoas que só vêem arte se estiverem em um  painel e valerem milhões.

Eu fiquei bem inspirada pelo lugar. Todas essas obras de artes me fizeram soltar a criatividade junto com a fotógrafa e nisso resultou um ensaio fotógrafico maravilhoso. Não foi preciso muito esforço para pensar em poses legais, ângulos e outras coisas, porque o lugar por si só já dá aquele tchãn!

Processed with VSCO with hb2 preset

Processed with VSCO with b5 preset

Processed with VSCO with b1 presetProcessed with VSCOProcessed with VSCO with b1 presetProcessed with VSCO with hb2 preset

Processed with VSCO with b1 preset

Processed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCOProcessed with VSCO with b5 presetProcessed with VSCO with hb2 presetProcessed with VSCO with b1 presetProcessed with VSCO with b1 presetProcessed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCO with a5 preset

Processed with VSCO with b5 preset

Processed with VSCO with b5 presetProcessed with VSCO with hb2 presetProcessed with VSCO with hb2 preset

                                     Processed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCOProcessed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCO with b5 presetProcessed with VSCO with b1 presetProcessed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCO with a5 presetProcessed with VSCO with a5 preset      Processed with VSCO with hb2 presetProcessed with VSCO with hb2 presetProcessed with VSCO with hb2 presetProcessed with VSCO with b1 presetProcessed with VSCO with hb2 presetProcessed with VSCO with hb2 presetProcessed with VSCO with hb2 presetProcessed with VSCO with hb2 presetCRÉDITOS:

Fotógrafa– Karina Amaral – Insta|| Flickr 

Look– short( C&A), Camisa xadrez ( D’Shaloon), Botinha (baeta), jaqueta.

Look2– saia( feira da estação), Camisa couro ( Linho fino), slip on ( Beira Rio)

Local- Beco da Codorna

TENDÊNCIAS 2016+DICAS DE COMO USAR: minibags

Oi divas e divos, tudo bem com vocês? O post de hoje é sobre a minibag, a tendência de 2016 na ala dos acessórios. Essas minibags, estiveram no desfile SPFW 2016 no começo do ano. Na passarela elas  variam de tamanho, cor, marca, textura e estilo.
Continue lendo

Como foi ter bulimia.

Oi divas e divos, tudo bem? A pedidos de alguns leitores eu resolvi abrir o jogo e contar como foi o período em que eu tive bulimia. Ao contrário do que muita gente pensa, bulimia vai muito além de comer e vomitar, isso é uma doença e não deve ser levada como frescura, como muitos a classificam por ai.

anorexia___eating_dissorder_by_viry

Não, eu não tenho bulimia mais. Eu tive quando tinha de 13 a 15 anos, quando estava no auge da minha adolescência e com uma autoestima mais baixa que tudo. Hoje eu estou caminhando para seguir carreira de modelo, mas sou segura do meu corpo e do quanto sou bonita, mas nem sempre foi assim. Quem me ver confiante andando por ai, jamais imaginaria que eu também já estive no fundo do poço.

Eu sempre fui a louca da academia, das aulas de dança, da natação, da corrida, de todos  os exercícios que eu pudesse fazer. Minha mãe sempre dizia: ” você quer agarrar o mundo com as mãos Kauany, mas você não pode.” E realmente, eu sempre tive essa mania de querer fazer tudo de uma vez, até que eu me apeguei somente ao ballet, uma dança tão delicada e maravilhosa que por trás dos bastidores carrega sacrifício e muita coisa horrível, que não é mostrada diante dos holofotes. Foi ai que tudo começou, como eu era uma bailarina com “corpão”, eu achava que não me enquadrava no perfil posto para ser uma bailarina de sucesso. Eu sabia que precisava mudar aquela situação, então vi na bulimia uma solução. 

Um dia estava  sentada no meu querido sofá vendo uma novela, e vi uma cena que despertou algo em mim, a personagem tinha problemas com seu corpo assim como eu e praticava  o ato mais comum da bulimia, que é : comer, comer, comer e depois por tudo pra fora. Eu toda na inocência corri para o banheiro e fiz o mesmo. Mal  sabendo que aquilo iria me assombrar por um longo tempo. Eu passei a vomitar todas as vezes que comia, ficava longas horas sem comer, me alimentava mal, praticava exercícios em exagero, eu me afundava cada vez mais.

Com o passar do tempo sempre que eu comia um peso de culpa vinha sobre as minhas costas. Eu chorava e o tormento só ia embora depois que eu vomitasse. Quando eu acabava meus exercícios sempre sentia tontura, moleza e quase desmaiava. Os sintomas começaram a se agravar, eu comecei a me isolar do meu grupo de amigas, passava uma imagem de durona quando  na verdade eu estava destruída. Eu tentava sair da bulimia sozinha, mas não conseguia. Eu achava que era mais forte do que eu. Minhas amigas e meu ”namoradinho” da época começaram a perceber meu comportamento estranho, até que eu abri o jogo para  eles.

Uma coisa que bulímico tem é vergonha. Nós nos acostumamos a esconder por achar que ninguém vai entender,que todo mundo vai julgar e nos condenar. Chega a um determinado momento que parece não haver saída. Eu fiquei sufocada, cansada de tanto me destruir. Nossa imagem em frente ao espelho e na mente vai ficando distorcida. Eu comecei a enxergar coisa onde não tinha. Eu vestia 36, mas jurava que vestia 42 ,por exemplo. Eu me sentia desprezível, um lixo, mal amada e odiava a mim mesma. Essas é uma das coisas que a bulimia faz, ela chega de mansinho, te faz acreditar que aquilo é bom e depois te devora por inteira.  Como eu superei? Isso fica para um próximo post.

Mesmo que todos digam que você não é boa ou bom o bastante, que não é amadx, bonitx ou não serve pra nada, eu afirmo que você é lindx, que é capaz de fazer tudo o que quer e que há uma força ai dentro de você que nem imagina. Você pode sim, quebrar barreiras, ultrapassar  obstáculos, vencer qualquer problema. Força, foco e fé  meninx que a vida segue. Mesmo que ela não para pra você se recompor, Deus para e ele parou  todas as vezes que eu cai. Eu gostaria que você soubesse que no mundo há pessoas boas que se preocupam com você e que és mais forte  do imagina.

E aí? Querem uma continuação dessa história? Ou algum assunto relacionado com esse tema? E vocês? Já tiverem algum problema parecido com esse? Deixem nos comentários e beijos da cacheada.

P.S.: com o intuito de ser inclusiva e  economizar tempo, decidi me referir a vocês de maneira mais universal, já que tenho um público muito variado. Sendo assim, no lugar de colocar as palavras no masculino e no feminino, colocarei um ” x” na terminação.  Assim você, independente do gênero ou orientação sexual  escolhida poderá se identificar melhor.